Música de Carnaval


29/07/2015


Carnaval de 1997

O cantor Cláudio Tricolor grava samba-enredo com a escola de samba Acadêmicos de Santa Cruz, na Rca Victor, para o Carnaval de 1997:

 

"Se liga! Que eu tô aí!

 Tô cheio de felicidade

 A festa das bandeiras

 Vem sacudir!  Vem agitar essa cidade!

 

    Santa Cuz vem desfilar e levantar sua bandeira

    Abre o manto da ilusão, da emoção tão brasileira

    Meu samba é azul, é belo

    Verde-amarelo, branco redentor

    A ordem é do rei

    O progresso da folia

    Canta de alegria!

    Na bandeira da arte

    Eu vou te dar meu estandarte, amor!

    Vem sacudir o meu desejo

    Meu beijo vai te balançar

    Roda baiana, porta-bandeira

    Roda e me faz feliz!

    Te quero pendão, te quero pais

    Na chama do meu coração!

 

                 Zazueira, zazuê!

              Vou de bandeira, vou brincar o carnaval!

                 Ê ê ê

                 Zazueira, zazuê!

              Não dá bandeira, vem pintar o meu astral!

                                                           Que brilha...

 

    Brilha muito, brilha tudo, brilha mais!

    Na dança das estrelas

    O teu céu brilha de paz

    Teu chão tem a flor da esperança

    O ouro que balança e agita os mortais!

    Um amor não se vive sem bandeira

    Sem você eu não consigo mais vibrar

    Quero viver, vem tremulhar

    Prá ver a Santa Cruz passar!

 

          Se liga!  Que eu tô aí!

         Tô cheio de felicidade

        A festa das bandeiras

       Vem sacudir!  Vem agitar essa cidade!"

 

"Não se vive sem bandeira", samba-enredo de Carroça, Pepê e Carlinhos 18, com Cláudio Tricolor e GRES. Acadêmicos de Santa Cruz, Rca Victor: 7432144033-2, Faixa 8, Carnaval de 1997.-

 

cesargravier@bol.com.br

Escrito por Cesar Gravier às 13h13
[ ] [ envie esta mensagem ]

28/07/2015


Carnaval de 1968

Henrique Silva, cantor, compositor, grava marcha na etiqueta Presidente, para o Carnaval de 1968:

 

"Eu fui apanhar uma rosa

 O espinho espetou meu dedo

  Agora fiquei sabendo

   Que a rosa não é brinquedo...

                   II

          Rosa, Rosinha

          Não faça assim, comigo não

          Você machucou meu dedo

          E feriu meu coração!"

 

"A rosa", marcha de Doca e José Astolphi, com Henrique Silva, Presidente: 4.025/A, Carnaval de 1968.

 

Do Lado B do compacto simples, encontramos o samba: "Fé em Deus" de Donga, (Ernesto dos Santos), com o cantor Cici, Carnaval de 1968.

 

A marcha "A rosa" de Doca e José Astolphi, também foi gravada pelo cantor Moises Guitar, em disco Presidente: 4.031/A, Faixa 2, para o Carnaval de 1968.-

 

cesargravier@bol.com.br

Escrito por Cesar Gravier às 13h35
[ ] [ envie esta mensagem ]

27/07/2015


Carnaval de 1968

Jorge Veiga, (1910-1979), Jorge de Oliveira Veiga, cantor, compositor, grava marcha e samba na Continental, para o Carnaval de 1968:

 

"Não tira a máscara

 Não tira a máscara

  Eu lhe imploro por favor

   Quero apenas  sonhar e pensar

    Que estou brincando

     Com o meu amor...

               II

         Mascarada, mascarada

        Fez sujeira à minha amada

       Você com a rica cigana

      Eu com meu lindo Pierrô

     Brincaremos a noite inteira

    Pulando, em todo o cordão

   Mas por favor

  Não tire a máscara

 Para iludir meu coração!"

 

"Não tira a máscara", marcha de Rubens Reis, Sebastião Gomes e Zilda do Zé, com Jorge Veiga, Continental: 50.038/A, Carnaval de 1968.

 

"A primeira vez

 Que eu te vi...

 O meu coração palpitou

 E na corrente

 De teus braços

 A minha alma ficou!

          II

      Vivo triste pensando

       Na nossa situação

        Se o amar não é pecado

         Por isso eu mereço perdão!"

 

"Amar não é pecado", samba de Sebastião Gomes e Newton Teixeira, com Jorge Veiga, Continental: 50.038/B, Carnaval de 1968.-

 

cesargravier@bol.com.br

Escrito por Cesar Gravier às 20h07
[ ] [ envie esta mensagem ]

Carnaval de 1942

Lamartine Babo, (1904-1963), Lamartine de Azeredo Babo, cantor, compositor, radialista, grava marcha em duo com a cantora Rosina Pagã, (Rosina Cozzolino), na Odeon, para o Carnaval de 1942:

 

"Vamos dançar la canga

 Como mamãe e papai

  Quem está de fora não entra...

   Que está de dentro não sai!

                  II

          Aperta a mão, ó gente

         Prá não abrir a roda

        Porque atualmente

       É essa a grande moda

      Agora aperto eu

     Depois aperta tu

    E a turma grita:

   U, u, u, u."

 

"La canga", marcha de Lamartine Babo e Heber de Boscoli, com Lamartine Babo & Rosina Pagã, Odeon: 12.094/A, Carnaval de 1942.

 

No Lado B, do disco de 78rpm. encontramos o samba: "Pobreza não é defeito", de Antônio Almeida e Jorge Faraj, com Rosina Pagã, para o Carnaval de 1942.-

 

cesargravier@bol.com.br

Escrito por Cesar Gravier às 15h16
[ ] [ envie esta mensagem ]

25/07/2015


Carnaval de 1949

O cantor Carlos Galhardo, (1913-1985), Catello Carlo Guagliardi, nasceu na Argentina. Grava marcha e samba na Rca Victor, para o Carnaval de 1949:

 

"Canta vagabundo

 A tua desilução...

 Canta a tua magua pelo mundo

 Faz da tua dor uma canção...

                II

      Prá que chorar, prá que, prá que...

       Se o nosso pranto ninguém vê?

        Se choras por alguém que não te quer

         Esquece por favor essa mulher

          E vai cantando vagabundo

           Atrás de um outro amor qualquer..."

 

"Canta vagabundo", marcha de Roberto Martins e Ary Monteiro, com Carlos Galhardo, Rca Victor: 80.0588/A, Carnaval de 1949.

 

"Neste mundo e no outro

 Só teu meu amor há de ser

  Nem que a morte nos separe

   A saudade há de nos prender

    Neste mundo e no outro

     Nossas vidas serão uma só

      Porque além de um grande amor

       Tudo é mentira que se transforma em pó!

 

       O nosso amor até hoje ainda não morreu

      E nem que a morte nos separe

     Meu amor há de ser, só teu..."

 

"Neste mundo e no outro", samba de Roberto Martins e Ary Monteiro, com Carlos Galhardo, Rca Victor: 80.0588/B, Carnaval de 1949.-

      

 

Escrito por Cesar Gravier às 17h26
[ ] [ envie esta mensagem ]

Carnaval de 1954

O cantor Cauby Peixoto, grava marcha e samba na CBS~Columbia, para o Carnaval de 1954:

 

"Eu queria ser creado mudo

 Eu não falava

 Mas via tudo

              Via tudo!

      II

   Esse emprego

    Não é remunerado

     Mas se existisse

      Seria disputado....

       Quem não queria ser

        Creado mudo

         De madame, até morrer!"

 

"Creado mudo", marcha de Alfredo Borba, com Cauby Peixoto, CBS~Columbia: 10.016/B, Carnaval de 1954.

 

"No palacio de um rei

 Você seria rainha

  Mas não se esqueça que você

   Que você

    Que você é minha!

              II

       Deixa dessa mania de grandeza

       Felicidade

       Não se compra com riqueza

       Eu sou pobre

       E não me troco por um rei...

       Porque o seu amor

       Eu não comprei!

                          Não..."

 

"Palacio de pobre", samba de Alfredo Borba e José Saccomani, com Cauby Peixoto, CBS~Columbia: 10.016/A, Carnaval de 1954.-

 

cesargravier@bol.com.br

  

      

      

    

Escrito por Cesar Gravier às 13h13
[ ] [ envie esta mensagem ]

24/07/2015


Carnaval de 1969

A cantora Angelita Martinez, (1931-1980), grava marcha e samba na Musicolor, para o Carnaval de 1969:

 

"Deixa a tristeza de lado

 Que hoje é carnaval

  Canta e teus males espanta

   Lá no Municipal...

                 Municipal!

        II

      Carnaval

     É sinfonia colorida

    Alegria da multidão

   Não fique triste querida

  Tudo na vida é ilusão!"

 

"Hoje é carnaval", marcha de Jayme Bochner, com Angelita Martinez, Musicolor: 20.141/B, Faixa 4, Carnaval de 1969.

 

"Rezei

 Rezei demais

 Rezei prá você voltar

 Depois que você me abandonou...

                                    Meu amor!

 Eu juro

 Nunca mais teve paz...

                      Mas eu rezei!

         II

    Meus dias

     São longos

      Minhas noites

       São vazias

        A dor me maltrata o coração

         Oh! meu amor

          Eu lhe peço perdão!"

 

"Rezei", samba de Jayme Bochner, com Angelita Martinez, Musicolor: 20.141/A, Faixa 2, Carnaval de 1969.-

 

cesargravier@bol.com.br

 


Escrito por Cesar Gravier às 20h36
[ ] [ envie esta mensagem ]

Carnaval de 1938

Lamartine Babo, (1904-1963), Lamartine de Azeredo Babo, cantor, compositor, radialista, grava duas marchas em duo com Aracy de Almeida, (1914-1988), Aracy Teles de Almeida, cantora, na Rca Victor, para o Carnaval de 1938:

 

"8.083, 50 mil reis! 8.083!

 

 Na esquina da sorte

 Onde mora o meu amor

 Encontrei um bilhete

 Enrolado numa flor

 

        Um bilhete azulzinho

        Cinco abraços, dez beijos

        E depois do carinho

        Um milhão de desejos

        Um encontro mais forte

        Outro encontro depois

        E a não ser nossa sorte

        Nada além de nós dois!

 

  E no fim do bilhete

   Outro encontro marcado

    Um cinema, um sorvete

     Tudo bem combinado

      Umas frases amigas

       E umas brigas depois

        E a não ser nossas brigas

         Nada além de nós dois!

 

   Zero, zero, zero, zero

   Prá que tanto zero?

   Zero, zero, zero, zero."

 

"Esquina da sorte", marcha de Hervé Cordovil e Lamartine Babo, com Lamartine Babo & Aracy de Almeida, Rca Victor: 34.286/B, Carnaval de 1938.

 

"A vaca amarela pulou a janela

 Mexeu, tanto mexeu

 Que até quebrou a tal tigela...

 

           A minha casa tem quintal pro morro

          Com um bungalow que eu fiz pro meu cachorro

         Do lado esquerdo tem uma cancela

        Toda escangalhada pela tal vaca amarela

 

        Dizem que a vaca veio da montanha

         Veio de Minas, lá do Mar de Espanha

          Vaca espanhola natural de Minas

           Que na Catalunha cata boi com serpentina!"

 

"Vaca amarela", marcha de Lamartine Babo e Carlos Netto, com Lamartine Babo & Aracy de Almeida, Rca Victor: 34.286/A, Carnaval de 1938.-

 

cesargravier@bol.com.br

   

 

Escrito por Cesar Gravier às 19h27
[ ] [ envie esta mensagem ]

23/07/2015


Carnaval de 1961

O cantor Carlos Galhardo, (1913-1985), Catello Carlo Guagliardi, nasceu na Argentina.  Grava marcha e samba na Rca Victor, para o Carnaval de 1961:

 

"Dindi...

 Ai Dindi...

 Não sei viver

 Sem te querer

 Dindi...

 A vida é bela

 Quando estou junto de ti!

              II

       Coração canta

      O amor entoa

     Junto de ti, Dindi

    A vida é tão boa!"

 

"Ai Dindi", marcha de João Grimaldi, com Carlos Galhardo, Rca Victor: 1108/2, Faixa 1, Carnaval de 1961.-

 

"Deu, deu

 Deu, deu

 Deu saúva no quintal

 Deu, deu

 Deu, deu

 Caetetu no canavial...

          II

     Deu formiga no agrião

    Deu o gôgo na galinha

   Deu o bicho no feijão

  Deu o mofo na farinha."

 

"Caetetu", samba de Charuto, com Carlos Galhardo, Rca Victor: 11088/1, Faixa 2, Carnaval de 1961.-

 

cesargravier@bol.com.br

       


Escrito por Cesar Gravier às 16h46
[ ] [ envie esta mensagem ]

21/07/2015


Carnaval de 1968

A cantora Elza Soares, (Elza da Conceição Soares), grava dois sambas na Odeon, para o Carnaval de 1968:

 

"Tem o seu nome gravado

 Em ouro nos anais

 Através dos carnavais!

 

           Minha Portela querida

          És razão da minha própria vida

         Se algúm dia

        Eu me separar de ti...

       Muito vou sentir!

 

       Portela

        Tudo em ti é glória

         Na derrota

          Ou mesmo 

           Na vitória

            Tem o seu nome gravado

             Em ouro nos anais...

              Através dos carnavais!"

 

"Portela querida", samba de Noca, Picolino e Colombo, com Elza Soares, Odeon: 7B-274/1, Carnaval de 1968.

 

"Eu já sofri

 Silenciei

  Porque

   Não sei viver sem você

    Você voltou

     Eu perdoei

      Porque

       Já esqueci que briguei...

   II

            Chega de sofrer

           Chega de chorar

          Vamos viver bem juntinhos

         E deixa o povo falar...

                           Lá lá lá lá!"

 

"Sofri", samba de Ivan Nascimento, com Elza Soares, Odeon: 7B-274/2, Carnaval de 1968.-

 

cesargravier@bol.com.br

Escrito por Cesar Gravier às 15h34
[ ] [ envie esta mensagem ]

20/07/2015


Carnaval de 1970

Marlene, (1924-2014), Vitória de Martino Bonnaiutti, cantora, atriz, grava marcha e samba na Equipe, para o Carnaval de 1970:

 

"O amor é cego

 É surdo e mudo

 Mas faz a gente

 O que ele quer...

 Eu conheço campeão de vale-tudo

 Que apanha da mulher!

             II

      Lá no quartel

       Quem é o tal é o coronel

        Mas chega em casa

         Sua exelência

          Faz continência

           Pro rolo de pastel!"

 

"Rolo de pastel", marcha de Klécius Caldas e Rutinaldo, com Marlene, Equipe: 844/A, Faixa 1, Carnaval de 1970.

 

"Aquela noite foi

 Consagração do nosso amor

  Oh! linda noite

   Noite linda de esplendor

    Oh! linda noite

     Noite linda de esplendor.

                   II

            Foi quando nos declaramos amor

           Ao som de uma canção

          Eu de Pierrot

         Você de Colombina

        Naquele carnaval

       Festejamos nosso amor!"

 

"Consagração", samba de Waldir Ferreira, Edeor de Paula e S. Regina, com Marlene, Equipe: 844/B, Faixa 3, Carnaval de 1970.-

 

cesargravier@bol.com.br

 


Escrito por Cesar Gravier às 18h57
[ ] [ envie esta mensagem ]

Carnaval de 1967

Salma Nunes, cantora, compositora, grava marcha em disco Araribóia, para o Carnaval de 1967:

 

"Eu sou um bebê chorão

 Choro, choro, choro

 Mas ninguém tem pena, não!

                 II

    Minha babá

     Diz que eu sou um bão

      Beija e me deixa

       Em minha consolação

        É hora, é hora

         Dê a mamadeira

          Se não eu jogo a fralda fora!"

 

"Bebê chorão", marcha de Antoninho Lopes e Salma Nunes, com Salma Nunes, Araribóia: 001/A, Faixa 2, Carnaval de 1967.-

 

cesargravier@bol.com.br

Escrito por Cesar Gravier às 13h30
[ ] [ envie esta mensagem ]

19/07/2015


Carnaval de 1960

Linda Baptista, (1919-1988), Florinda Grandino de Oliveira, cantora, compositora, grava marcha e samba na Rca Victor, para o Carnaval de 1960:

 

"Se ela passa

 Pisca o olho

  Bole, bole

   Vai que é mole

    Vai que é mole...

             II

       Mulher é feito um pudim

      Geleia, rocambole

     Não vai pensar que é duro

    Vai que é mole

   Vai que é mole!"

 

"Vai que é mole", marcha de Haroldo Lobo e Milton de Oliveira, com Linda Baptista, Rca Victor: 1.047/1, Faixa 1, Carnaval de 1960.

 

"Não precisas bater

 Conheci teus passos

  Não precisas pedir perdão...

   Aqui estão meus braços!

                 II

         A cadeira de balanço

         Está ali

         Ficou parada de saudade

         Entra como sempre entraste

         Quem foi rei

         Nunca perde a majestade!"

 

"Não precisas bater", samba de Mário Lago e Oldemar Magalhães, com Linda Baptista, Rca Victor: 1.047/2, Faixa 2, Carnaval de 1960.-

 

cesargravier@bol.com.br

Escrito por Cesar Gravier às 14h40
[ ] [ envie esta mensagem ]

18/07/2015


Carnaval de 1937

Francisco Alves, (1898-1952), Francisco de Moraes Alves, cantor, compositor, grava três marchas e cinco sambas na Rca Victor, para o Carnaval de 1937:

 

"As mulheres sejam feias, sejam belas

 Parei com elas!, parei com elas!

 E assim vou vivendo muito bem

 Eu sou do "eu sozinho" e de mais ninguém...

                      II

        Eu sempre me julguei

         Modéstia à parte

          Um bom rapaz

           Mas em qüestão de amor

            Eu sou dos tais, dos tais

             Não quero divisão

              Eu quero só prá mim

               Se não eu vou achar ruim.

      III

               A última pequena

              Que eu tive

             Me deixou

            Bancou a pompa-rola

           E não voltou ô ô

          Se um dia regressar

         Chorando em "dó menor"

        Eu vou cantar em "sol maior"."

 

"Parei com elas", marcha de Antônio Nássara e Alberto Ribeiro, com Francisco Alves, Rca Victor: 34.131/A, Carnaval de 1937.

 

"Rio...

 Meu torrão brasileiro!...

 Rio...

 Verde-mar! céu-azul!

 Rio..., de janeiro a janeiro

 Tem a luz do cruzeiro

 Meu cruzeiro do sul!...

            II

    Surge Niterói

     Lá do outro lado

      Adorando o Corcovado

       Onde a Fé no alto está

        Depois as ilhas

         Verdadeiras maravilhas

          Surge a Ilha dos Amores

           Surge Paquetá!

    III

               Luzes pelas praias

              Pedraria!

             Que formosa joalheria!

            Quanta pérola tão rara...

           Lindos colares

          Circundando a Guanabara

         Na vitrine do cruzeiro

        Rio de Janeiro!"

 

"Rio", marcha de Lamartine Babo e Hervé Cordovil, com Francisco Alves, Rca Victor: 34.087/B, Carnaval de 1937.

 

"Uma furtiva lágrima

 Rolou dos olhos da morena

 Que eu mais amei

 Eu também 

 Na hora da partida

 Sem querer chorei...

          II

    É cheio de mágoas o mundo

     A vida é um abismo profundo

      Ah! se eu pudesse olvidaria

       Essa morena, meu amor

        Que matou minha alegria!

  III

               Se não fosse o meu companheiro

              O meu violão seresteiro

             Ah! eu juro que não saberia

            Suportar a solidão

           Em que vivo noite e dia!"

 

"Uma furtiva lágrima", marcha de Ary Barroso, com Francisco Alves, Rca Victor: 34.113/A, Carnaval de 1937.

 

"Chegou a sua vez de sofrer ê ê

 Chegou a sua vez de penar á á

 Agora estou dando sorte

 E você está dando azar...

             II

        Quando a gente quer a sorte

       Não sabe onde encontrar

      O azar é diferente

     Ele vem nos procurar...

                III

      Você devia saber

       O que todo mundo sabe

        Não há bem que sempre dure

         Nem mal que nunca acabe!"

 

"Chegou a sua vez", samba de Francisco Alves e Rubens Soares, com Francisco Alves, Rca Victor: 34.123/B, Carnaval de 1937.

 

"Oi, lá vem ela chorando

 Lá vem ela chorando!

 Oi, lá vem ela chorando

 Essa mulher é uma covarde

 Vem chorando, se lastimando

 Me pedindo prá voltar

 Para o meu lar

 É tarde, é tarde!

         II

    Você diz que não me ama

     Você diz que não me adora

      Mas quando me vê no samba, oi

       Por que é que você chora!

  III

                Você vem se lastimando

               Me pedindo prá voltar

              Hoje quem não quer sou eu

             Oi, não adianta chorar..."

 

"Lá vem ela chorando", samba de Rubens Soares e Demásinho, com Francisco Alves, Rca Victor: 34.123/A, Carnaval de 1937.

 

"O que é que você quer mais?

 Mais do que eu fiz ninguém faz

 Já lhe dei casa e comida

 Vai tratar da sua vida

 E vê se me deixa em paz!

               II

       Minha porta não se abre mais de uma vez

       Prá você já se abriu demais

       Trinta dias em cada mês

       O que é que você quer mais?

                     III

   Ninguém pode acreditar no que você diz

   As disculpas são sempre iguais

   Meus conselhos você não quis

   O que é que você quer mais?"

 

"O que é que você quer mais", samba de Antônio Nássara e Roberto Martins, com Francisco Alves, Rca Victor: 34.131/B, Carnaval de 1937.

 

"Pelo amor que eu tenho a ela...

 Sofrimentos eu passei

  Pelo amor que eu tenho a ela...

   Muitos prantos derramei

    Pelo amor que eu tenho a ela...

     Minha vida é um rosário de agonia

      Pelo amor que eu tenho a ela...

       É que eu vivo soluçando noite e dia!

                           II

                Nela eu vivo tristonho pensando

               E não descanso um minuto sequer

              Todos amam, mas esquecem seus amores

             Ai, meu Deus

            Só eu não esqueço essa mulher!

 

"Pelo amor que eu tenho a ela", samba de Ataulfo Alves e Antônio Almeida, com Francisco Alves, Rca Victor: 34.087/A, Carnaval de 1937.

 

"Iaiá do balacuchê ê

 Iaiá do balacuchá á

 

        Eu já te mandei embora

        E teimaste em voltá, ô

        Hoje não é mais aquela

        Já não sabe me agradá, oi

 

   Já te dei casa e comida

   E dinheiro prá gastá, ô

   Bom sapato e boa roupa

   Nunca deixaste de usá, ô

 

          Quando eu ria tu chorava

          Só prá me contrariá, ô

          Vai procurar outro amó

          Que queira te suportá, ô

 

    Foi a tua teimosia

    Que me fez te abandoná, ô

    Um amor igual ao meu

    Nunca mais há de encontrá, ô"

 

"Yáyá do balacuchê", samba de Rubens Soares, com Francisco Alves, Rca Victor: 34.113/B, Carnaval de 1937.-

 

cesargravier@bol.com.br

 


       

Escrito por Cesar Gravier às 13h27
[ ] [ envie esta mensagem ]

17/07/2015


Carnaval de 1965

A cantora Odete Amaral, (1917-1984), grava marcha e samba na Caravelle, para o Carnaval de 1965:

 

"Chegou a hora da virada, ei

 Virou, virou

  Cai fóra quem não é da nada...

                                Lê lê ó!

              II

      Quem não é do amor

     Cai fóra que a virada chegou...

    Eu sou do amor

                      Ché té

   A virada chegou...

                  Ó lá lá, ó, lê lê!"

 

"Hora da virada", Cláudio Praiba, Felipe Alterio e Adalberto Cantalice, com Odete Amaral, Caravelle: 33.502/B, Faixa 1, Carnaval de 1965.

 

"Foi só tristeza

 Que ficou em meu lar

  Foi só saudade

   Que ficou em seu lugar...

                II

         Vou caminhando

         Sempre sózinho

         Sentindo a falta

         Do seu carinho..."

 

"Só tristeza", samba de Milton Silva, Almir Silveira e Felipe Alterio, com Odete Amaral, Caravelle: 33.502/B, Faixa 2, Carnaval de 1965.-

 

cesargravier@bol.com.br

 


Escrito por Cesar Gravier às 19h21
[ ] [ envie esta mensagem ]
Busca na Web:

Perfil



Meu perfil
BRASIL, Sul, SANTANA DO LIVRAMENTO, CENTRO, Homem, de 46 a 55 anos, Portuguese, Spanish, Música, Livros, pesquisa de discos de carnaval
ICQ -

Histórico