Música de Carnaval


05/07/2015


Carnaval de 1972

Valgênio Rangel, cantor, compositor, grava marcha em disco Arlequim, para o Carnaval de 1972:

 

"Ah! moreninha linda

 Por favor me diga

 Aonde vai você

 Ah! moreninha linda

 Por favor eu quero ser

 Seu bem querer...

           II

      Passo tanto tempo sem te ver

      Passo mas não posso te esquecer

      Posso até jurar que foi você

      Quem amenizou meu padecer...

                       III

             Passo tanto tempo sem te ver

            Passo mas não posso te esquecer

           Posso até jurar que por você

          Deixo de fumar e de beber..."

 

"Moreninha linda", marcha de Valgênio Rangel, Antônio Queiroz e Decio Piccinini, com Valgênio Rangel, Arlequim: 2001/B, Faixa 5, Carnaval de 1972.-

 

cesargravier@bol.com.br

Escrito por Cesar Gravier às 18h19
[ ] [ envie esta mensagem ]

04/07/2015


Carnaval de 1977

Raul Gil, cantor, compositor, radialista, apresentador de programas na TV, grava duas marchas, em disco M C S A e Rca Victor, para o Carnaval de 1977:

 

"Vai lá, Brasil

 Vai lá

 Vamos faturar

 Vamos faturar.

        II

   Este é um país

    Que vai prá frente

     De um povo feliz e contente

      Pela grandeza de nossa nação

       Vamos faturar juntos irmãos!

                                Vai lá, Brasil!"

 

"Brasil, vai lá, (Vamos faturar), marcha de José Costa, Gilberto Montengero e Raul Gil, com Raul Gil, M C S A: 001/A, Faixa 1, Carnaval de 1977.

 

"Alô, alô

 Guenta, guenta...

 

       Alô, alô, comadre

       Eu não aguento não...

       Vou pedir meu boné

       Vou bancar Napoleão!

                   II

            Eu não aguento esta poluição

           A minha sogra é dose prá leão

          É verdade meu amigo

         É verdade eu não engano

        Prá aguentar a minha sogra

       Tem que ser corintiano...

 

                          Guenta, guenta

                          E eu também sou!"

 

"A poluição e a sogra", marcha de José Nunes, Jotagé e Raul Gil, com Raul Gil, Rca Victor: 107.0263/B, Faixa 8, Carnaval de 1977.-

 

cesargravier@bol.com.br

 


Escrito por Cesar Gravier às 14h33
[ ] [ envie esta mensagem ]

03/07/2015


Carnaval de 1965

Dorinha Duval, (Dorah Teixeira), cantora, atriz, comediante, artista plástica, grava marcha na Caravelle, para o Carnaval de 1965:

 

"Vou roubar um cha-cha-cha

 Vou apelar...

 Ela veio de maiô

 Já apelou...

 Ele diz que vai casar

 Vai apelar

 Nesta onda que eu vou...

 Mergulhar!

      

         Onda vai, onda vem

        Nessa onda

       Não dou cobertura

      A ninguém..."

 

"Marcha da apelação", marcha de Miguel Gustavo, com Dorinha Duval, Caravelle: 33022/A, Faixa 2, Carnaval de 1965.-

 

cesargravier@bol.com.br

Escrito por Cesar Gravier às 17h03
[ ] [ envie esta mensagem ]

01/07/2015


Carnaval de 1967

Raul Gil, cantor, compositor, radialista, apresentador de programas na TV, grava marcha na Fermata, para o Carnaval de 1967:

 

"Bolinha

 Bolinha

 Está na hora

 De você entrar na linha.

             II

       Não vá pensar

        Que eu não estou sabendo

         Certas coisinhas

          Que você anda fazendo

           Bo bo bo bolinha

            Está na hora

             De você entrar na linha..."

 

"Bolinha", marcha de Sylvio Mazzucca e Jucata, com Raúl Gil, Fermata: 162/A, Faixa 6, Carnaval de 1967.-

 

cesargravier@bol.com.br

Escrito por Cesar Gravier às 16h19
[ ] [ envie esta mensagem ]

30/06/2015


Carnaval de 1969

Raul Gil, cantor, compositor, radialista, apresentador de programas na TV, grava marcha na Musicolor, para o Carnaval de 1969:

 

"O galo está cantando Maria

 E quando o galo canta é dia

  Aqui, eu não posso ficar...

   Eu não posso ficar

    Se não minha mulher...

     Vem me buscar!

                     Tá na hora...

            II

    Aqui a gente esquece na vida

    Aquí o carnaval é uma brasa

    Maria, eu só quero ver

    O que vou dizer

    Quando chegar em casa...

                                 S´embora!"

 

"Aquí Maria", marcha de José Guimarães, Sereno e Mário Aguinaldo, com Raúl Gil, Musicolor: 20.141/B, Faixa 6, Carnaval de 1969.-

 

cesargravier@bol.com.br

Escrito por Cesar Gravier às 19h32
[ ] [ envie esta mensagem ]

Carnaval de 1961

Antônio Carlos, (1927-2005), Antônio Carlos Pires, cantor, compositor, ator, comediante, grava duas marchas na Rca Victor, para o Carnaval de 1961:

 

"Caiu de cama

 A Brasilina

  Ataque do coração

   Mas a vassouricilina

    Foi a sua salvação...

              II

        A Brasilina

       Agora é fã

      Do remédio que tomou

     E aconselha todo mundo a tomar

    Vassouricilina

   Que fortifica

  E ajuda a engordar..."

 

"Brasilina", marcha de Ayres Vianna e Murillo Vieira, com Antônio Carlos, Rca Victor: 1108/2, Faixa 5, Carnaval de 1961.

 

"Eu vou!...

 Eu vou!...

 Tá na hora de sumir

 Não quero ver o bode

 Que vai dar, quando eu sair...

              II

       Com a cara e a coragem

        Eu vou!, eu vou!,

         Prá ilha de Bananal

          Lá, eu levo vantagem

           A meta agora é carnaval!"

 

"Carnaval em Bananal", marcha de Nestor da Penha, Nílton Sá e Antônio Carlos Pires, com Antônio Carlos, Rca Victor: 1108/1, Faixa 7, Carnaval de 1961.-

 

cesargravier@bol.com.br

Escrito por Cesar Gravier às 11h15
[ ] [ envie esta mensagem ]

29/06/2015


Carnaval de 1959

Germano Mathias, cantor, compositor, grava marcha e samba na R G E, para o Carnaval de 1959:

 

"Apareceu...

 Lá no fundo do quintal

  Um galo preto

   Cantando muito mal

    Trazia no pescoço

     Fita amarela

      Só pode ser trabalho dela...

       Só pode ser trabalho dela!

                     II

            Eu não teve medo

           Achei até gozado

          Meu Santo é muito forte

         Foi tudo desmanchado...

                                       Mas eu!"

 

"Galo preto", marcha de Germano Mathias e Nilo Silva, com Germano Mathias, R G E: 10.134/A, Carnaval de 1959.

 

"Furei o zinco

 Do meu barracão

  Prá formar uma goteira

   No meu quarto de deitar

    Mandei também colocar

     Uma vazia no chão

      Prá ver, pingo d´água chorar

       Prá ver, pingo d´água chorar!

                       II

              Só lhe peço pingo d´água

             Não aumente a minha mágoa

            Faz com sua sinfonia

           Apagar a nostalgia

          Dentro do meu barracão...

         Tráz de volta pingo d´água

        A dona do meu coração

       Tráz de volta pingo d´água

      A dona do meu coração!"

 

"Sinfonia da goteira", samba de Oswaldo França e Antoninho Lopes, com Germano Mathias, R G E: 10.134/B, Carnaval de 1959.-

 

cesargravier@bol.com.br

Escrito por Cesar Gravier às 13h03
[ ] [ envie esta mensagem ]

28/06/2015


Carnaval de 1936

A cantora Carmen Miranda, (1909-1955), Maria do Carmo Miranda da Cunha, nasce em Portugal. Grava seis marchas e quatro sambas na Odeon, para o Carnaval de 1936:

 

"Alô, alô, alô, alô, alô carnaval

 Ouço o teu tambor

 Alô, alô, alô, alô, alô carnaval

 Colombina é o teu amor.

              II

    Dizem que Pierrot se apaixonou por mim

     Pra fazer inveja ao meu querido Arlequim

      Dizem que Arlequim é o meu melhor freguês

       Eu engano os dois querendo os dois de uma vez..."

 

"Alô alô carnaval", marcha de Lamartine Babo e Hervé Cordovil, com Carmen Miranda, Odeon: 11.324/B, Carnaval de 1936.

 

"Eu duvi-d-ó-dó que você tenha vinte anos só

 Ai! você tem é uma cara bem boa Ioiô

 Prá sair fantasiado de vovó

 

          Eu duvi-d-ó-dó que você tenha vinte anos só

         Você tem uma cara bem boa Lolô

        Prá sair fantasiada de vovó...

  II

           A sua certidão já não existe mais

          Ou então você faz anos prá trás

         Provar o que você diz, ó ó ó ó ó ó

        Isso é o que eu duvi-d-ó-dó!"

 

"Duvi-d-ó-dó", marcha de Benedito Lacerda e João Barcellos, com Carmen Miranda, Odeon: 11.330/A, Carnaval de 1936.

 

"Vocês não sabem quem eu encontrei

 Maria Rosa com o sêo Cabral

 Mesmo não sendo em abril, o sêu Cabral descobriu

 A célebre mulher fatal...

             II

     O sêu Cabral que já foi comandante

     Do tempo de Dão Manoel

     E que já teve estrelas de almirante

     Só pode agora tê-las no céu.

                                      III

         O sêo Cabral tornou-se brasileiro

        Não quis voltar prá Portugal

       Pois descobriu na terra do Cruzeiro

      Maria Rosa, estrela tropical..."

 

"Nova descoberta", marcha de Arlindo Marques Junior e Roberto Roberti, com Carmen Miranda, Odeon: 11.319/A, Carnaval de 1936.

 

"Ô ô ô

 Ô ô ô

 Foi na hora do aperto

 Que eu perdi o meu amor!

               II

     Perdi o meu amor, mas foi melhor assim

     Meu amor era um Pierrot

     E eu gosto mais de um Arlequim...

                     III

         Eu entrei para o apertão, levei muito beliscão

        É por isso que eu não gosto de puxar nenhum cordão!"

 

"Ô...", marcha de Assis Valente, com Carmen Miranda, Odeon: 11.318/A, Carnaval de 1936.

 

"Deitado no trilho de um trem

 Estando amarrado e amordaçado

 Sabendo que o maquinista não é o seu parente

 Nem olha prá frente

 O que é que você fazia?

 Eu nesse caso nem me mexia...

                 II

        Sentado, olhando um cachorro

        Que da tua mão tirou o teu pão

        Sabendo que o teu bilhete que está premiado

        Também foi roubado

        O que é que você fazia?

        Eu nesse caso nem me mexia...

                        III

                Se um dia a tua sogra bebesse

               Um gole pequeno de um grande veneno

              Se por um capricho da sorte

                                            Ou de algum doutorzinho

             Ela ficasse mais forte

            O que é que você fazia o senhor?

           Eu nesse caso matava o doutor

          O que é que você fazia?

         Eu nesse caso... desaparecia..."

 

"O que é que você fazia?", marcha de Hervé Cordovil e Noel Rosa, com Carmen Miranda, Odeon: 11.324/A, Carnaval de 1936.

 

"Adão, meu querido Adão

 Todo mundo sabe que perdeste o juizo...

 Por causa da serpente tentadora

 O nosso mestre te expulsou do paraíso!

                       II

         Mas em compensação o teu pobre coração

        Que era pobre, pobre, muito pobre de amor

       Cresceu e eternizou, meu Adão

      O teu pecado encantador!"

 

"Querido Adão", marcha de Benedito Lacerda e Oswaldo Santiago, com Carmen Miranda, Odeon: 11.297/A, Carnaval de 1936.

 

"Balacubaco, vamos sambar

 Cai no fandango e deixa esse povo falar!

                       II

     Deixa esse povo que fala sem num ter razão

    Está com raiva e mágua do meu cordão

   E entra no samba, ôi!, rasgado

  E a cidade inteira samba deixando o resto de lado.

                          II

     O povo fala porem não sabe o que diz

      Mostra sem medo que és dono do teu nariz

       E entra no samba, ôi, rasgado

        Pois no fandango ninguém sabe

         Quem é solteiro ou casado..."

 

"Deixa esse povo falar", samba de Arlindo Marques Junior e Roberto Roberti, com Carmen Miranda, Odeon: 11.319/B, Carnaval de 1936.

 

"Eu esqueci de sorrir, já não posso mentir

 Eu choro por você

 Porém você meu amor não compreende a minha dor

 Não sei por quê...

         II

    Quero voltar a sorrir como antigamente

   Quero esquecer esta dor que me faz sofrer

  É bastante você querer

 Ser um pouco consciente prá me compreender."

 

"Esqueci de sorrir", samba de Russo do Pandeiro, com Carmen Miranda, Odeon: 11.330/B, Carnaval de 1936.

 

"Falado: 

           Fala, fala meu pandeiro!

           Fala meu pandeiro

           Faz a tua marcação

           E acompanha a melodia que é feita da tristeza

           Que me vai no coração...

   I

Nossa vida era tão boa

 Ritmada e bem serena

  De tão boa parecia uma doce melodia

   Uma valsa de Viena!

             II

       Todo se passou depressa

       Lindo sonho de amizade

       Prá meus olhos não chorar...

       O meu pandeiro vai falar

       Prá matar minha saudade!"

 

"Fala meu pandeiro", samba de Assis Valente, com Carmen Miranda: Odeon: 11.318/B, Carnaval de 1936.

 

"E tudo e tudo e tudo, tudo o que você me fêz

 Muito caro vai pagar

 Eu vou cantar um samba, meu bem

 Só prá ver você chorar!

               II

    Nesse samba de tristeza, se você me escutar

    Tenho quase a certeza, meu bem, que no fim há de chorar

    E eu no estribilho exponho tudo quanto acreditei

    Nas mentiras de um sonho, meu bem

    Que só hoje despertei...

                III

 Cada estrofe é um sentimento,

 Cujo tema é o nosso amor

 Cada verso é um lamento

 Cada frase é uma dor

 Em cada palavra eu deixo

 A ilusão que em mim viveu

 E ainda por desfecho

 Seu nome bem juntinho ao meu..."

 

"Prá fazer você chorar", samba de Benedito Lacerda e Aldo Cabral, com Carmen Miranda, Odeon: 11.297/B, Carnaval de 1936.-

 

cesargravier@bol.com.br

 


 

 



 

 

Escrito por Cesar Gravier às 15h45
[ ] [ envie esta mensagem ]

27/06/2015


Carnaval de 1972

Gilberto Alves, (1915-1992), Gilberto Alves Martins, cantor, compositor, grava dois sambas na Copacabana, para o Carnaval de 1972:

 

"Rolei, rolei

 De bôca em bôca

  E não achei o beijo dela...

   Ela fugiu

    Foi uma louca

     E eu fui um louco

      Por causa dela!

              II

       O meu coração

       Já sofreu demais

       Ela nos braços de outro

       E eu no mundo sem paz...

                                  A rolar!"

 

"De bôca em bôca", samba de Tito Mendes e Carlos J. Silva, (Carlinhos do Império), com Gilberto Alves, Copacabana: 1041/A, Carnaval de 1972.

 

"É o amor, é o amor, é o amor

 O remédio prá curar

  Esta grande dor

   Que lhe faz penar...

             II

        Vamos embora

       Vamos amar

      Que está na hora

     Creia:

    O amor é fruto

   Que você plantando dá,

 

      Amor, amor, amor, amor

       Melhor neste mundo...

        Não há!"

 

"É o amor", samba de Jorge Washington e Jorge Martins, com Gilberto Alves, Copacabana: 1041/B, Carnaval de 1972.-

 

cesargravier@bol.com.br

Escrito por Cesar Gravier às 16h41
[ ] [ envie esta mensagem ]

Carnaval de 1965

A cantora Isa Rodrigues, grava marcha em disco Real, para o Carnaval de 1965:

 

"Com dois eu não saio

 Nem eu, nem ninguém

  Saindo com dois

   Não me fica bem...

    Mamãe já dizia:

     Cuidado meu bem!

      Se ficar prá titia

       Importância não tem...

                                     Com dois, não!"

 

"Com dois, não!", marcha de Washington Fernandes, com Isa Rodrigues, Real: 1010/B, Carnaval de 1965.

 

No Lado B deste 78rpm., encontramos a marcha: "O pai é uma fera", marcha de Washington Fernandes, com Waldir Maia, para o Carnaval de 1965.-

 

cesargravier@bol.com.br

Escrito por Cesar Gravier às 14h17
[ ] [ envie esta mensagem ]

Carnaval de 1990

Carlinhos de Pilares, cantor, compositor, grava samba-enredo com a escola de samba Acadêmicos de Santa Cruz, na Rca Victor, para o Carnaval de 1990:

 

"Gip gip nheco nheco

 Por favor não apague a luz...

                                   A luz, a luz

 Goze desta liberdade

 Nos braços da Santa Cruz!

 

         Oh! divina luz que nos conduz

         Com bom humor e reverência

         Hoje, ninguém vai nos gripar

         Somos os heróis da resistência

         Vamos pasquinar, recordar

         Sorrir sem censura

         Botar a boca no mundo, buscar bem fundo

         Sem a tal da ditadura!

 

  Soltavam as bruxas, o pau comia

  De golpe em golpe, quanta covardia!

 

                    Venha com a gente, povão

                   Abra o seu coração

                  Para o Pasquim, o pequenino imortal

                 Simbolizado pelo sacana ratinho

                Mesmo bombardeado, virou paixão nacional

               Aí, na palidez da folha

              Imprimimos personagens geniais

             Lindas mulheres espelhando nossas páginas

            Ipanema foi o centro cultural

           Hoje, essa história é carnaval...

 

     Gip gip nheco nheco

     Por favor, não apague a luz...

                                     A luz, a luz

     Goze desta liberdade

     Nos braços da Santa Cruz!"

 

"Os heróis da resistência", samba-enredo de Zé Carlos, Carlos Henri, Carlinhos de Pilares, Doda, Mocinho e Luiz Sérgio, com Carlinhos de Pilares e GRES. Acadêmicos de Santa Cruz, Rca Victor: 150.0005/A, Faixa 1, Carnaval de 1990.-

 

cesargravier@bol.com.br

Escrito por Cesar Gravier às 12h16
[ ] [ envie esta mensagem ]

26/06/2015


Carnaval de 1974

O bloco carnavalesco Bafo da Onça, grava quatro sambas em disco Vitale, para o Carnaval de 1974:

 

"Eu vou pular

 Eu vou sambar

 Me acabar 

 Neste carnaval

 Ninguém vai me segurar!

              II

      Carnaval é loucura

       Você sabe muito bem

        Estou com a corda toda

         E ninguém é de ninguém!"

 

"Carnaval é loucura", samba de Ivo Elias e João Fonseca, com o bloco carnavalesco Bafo da Onça, Vitale: 10.001/A, Faixa 1, Carnaval de 1974.

 

"Você vai ver...

 Vai ver acontecer

  Neste carnaval

   Eu vou curtir com você!

               II

       Dim dim dim dim dim dim

       O meu samba é assim

       Dim dim dim dim

       Rebola mulata as cadeiras prá mim!"

 

"Dim dim dim", samba de Lino Roberto e Aderbal Moreira, com o bloco carnavalesco Bafo da Onça, Vitale: 10.001/A, Faixa 2, Carnaval de 1974.

 

"Skindo-skindo lelê

 Skindo-skindo lalá

 Abre alas minha gente

 Que o Bafo vai passar...

             II

     É muito embalo

      O samba ficou legal

       Todo mundo na boca

        A curtição é geral

         É isso aí

          É isso aí

           Esse é o Bafo da Onça

            Orgulho do meu Catumbí"

 

"É isso aí", samba de João Fonseca e Ivo Elias, com o bloco carnavalesco Bafo da Onça, Vitale: 10.001/B, Faixa 2, Carnaval de 1974.

 

"Gastei toda saliva

 Que eu tinha

 Para ver se conseguia

 Conquistar um grande amor...

               II

       Falei bonito

      E ganhei atenção

     No melhor do assunto

    A nega me disse que não!"

 

"Falei bonito", samba de Walter Dionisio, com o bloco carnavalesco Bafo da Onça, Vitale: 10.001/B, Faixa 1, Carnaval de 1974.-

 

cesargravier@bol.com.br

  

 

Escrito por Cesar Gravier às 20h07
[ ] [ envie esta mensagem ]

25/06/2015


Carnaval de 1953

Dora Lopes, (1922-1983), Dora Freitas Lopes, cantora, compositora, grava dois sambas na Sinter, para o Carnaval de 1953:

 

"Reconciliar com ela é asneira

 Pedir para ela voltar, isso não

 O que passou em nós

 Foi uma decepção

 Jamais eu lha darei perdão!

               II

      Eu gosto dessa mulher

       Mas a malvada não quer

        Seguir seu caminho certo, isso não

         Prefiro viver sòzinho

          Eu sou a lei da razão

           Jamais eu lha darei perdão!"

 

"Lei da razão", samba de Blecaute e Rubens Silva, com Dora Lopes, Sinter: 181/B, Carnaval de 1953.

 

"Não quero mais que Deus me ajude

 Nem quero ter um pão pra comer

  Juro não volto minha palavra atrás

   Amor igual a você eu não quero mais...

                      II

                Eu não volto atrás

               Me abandona

              Chega que eu sofri

             Vai, me deixa em paz

            Porque amor igual a você

           Eu não quero mais!"

 

"Me abandona", samba de Alcebíades Barcellos, (Bide), Aylce Chaves e Paulo Marques, com Dora Lopes, Sinter: 181/A, Carnaval de 1953.-

 

cesargravier@bol.com.br

Escrito por Cesar Gravier às 13h38
[ ] [ envie esta mensagem ]

24/06/2015


Carnaval de 1963

Luiz Henrique, cantor, compositor, grava marcha-rancho na Philips, para o Carnaval de 1963:

 

"A rosa brigou com o jasmim

 Ficou tão triste, sentida

  Quando vieram-lhe contar

   Que ele namorou a margarida...

                     II

             Não fiques triste rosa

            Que o jasmim é todo teu

           Um dia ele gostou de outra

          Mas foi da camelia

         E ela já morreu..."

 

"A rosa e o jasmim", marcha-rancho de Zininho, com Luiz Henrique, Philips: 61.160/B, Carnaval de 1963.

 

Do Lado A do 78rpm., aparece música não carnavalesca.-

 

cesargravier@bol.com.br

 

 


Escrito por Cesar Gravier às 14h18
[ ] [ envie esta mensagem ]

23/06/2015


Carnaval de 1987

O cantor Dedé grava samba-enredo com a escola de samba Portela na Rca Victor, para o Carnaval de 1987:

 

"Como se fosse magia

 Nosso poeta alcançou

 O afá da poesia

 Foi aí que clareou

 

             Clareou é do infinito

            Oh! que tema tão bonito

           Adelaide, a pomba da paz

          Está escrito

 

             Voa, voa, voa

              Deixa a tristeza de lado

               Voa, voa, voa

                Vai levar o seu recado

 

     Leia esse matutino

     Vai mudar o seu destino

     Disse o tucano falador

     Preciso de um mensageiro

     Que seja bem ligeiro

     Que leve a paz aonde for

 

            Pomba entre na floresta

            Aproveite, a hora é esta

            De aliviar a sua dor

            Ilumine a escuridão

            Faz feliz o coração

            De qualquer sofredor

                                   Ô ô ô

 

    São quatro letras

    Que fazem sonhar

    É o amor, que se espalha no ar

    Neste dia de folia

    Sigam o exemplo desta pomba

    Desativem esta bomba

    Pra ninguém se machucar...

 

           Amor é bom

            Amar é bom

             É bom demais

              É felicidade

                É sinônimo de paz!"

 

"Adelaide, a pomba da paz", samba-enredo de Neném, Mauro Silva, Arizão, Isaac e Carlinhos Madrugada, com Dedé e GRES. Portela, Rca Victor: 103.0686/A, Faixa 3, Carnaval de 1987.-

 

cesargravier@bol.com.br 

Escrito por Cesar Gravier às 17h00
[ ] [ envie esta mensagem ]
Busca na Web:

Perfil



Meu perfil
BRASIL, Sul, SANTANA DO LIVRAMENTO, CENTRO, Homem, de 46 a 55 anos, Portuguese, Spanish, Música, Livros, pesquisa de discos de carnaval
ICQ -

Histórico